Tags

, , , , , , ,

Hemingway escreve sobre suas recordações de quando viveu a chamada geração perdida, em Paris, na década de 1920. Tamanha é a delicadeza na escolha de palavras que compõem cada capítulo, que me fez terminar a leitura sem perceber. É um livro que ficou marcado para a vida, porque além de despertar o meu interesse para voltar a estudar francês e morar um tempo em Paris, foi o primeiro livro que li desse magnífico escritor.

PS¹ Hemingway devia ser muito gente boa, porque era amigo de Ezra Pound, Gertrude Stein, James Joyce, Bukowski, Picasso e outros que não recordo/não sei

PS² Tive uma insônia terrível essa noite e estou sem raciocinar direito, então se encontrarem erros ou whatever, pardon me!

 

Eu, Eu mesmo e Mona Lisa

Anúncios